Artigos

Tolerar frustração

Tolerar frustração



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Estamos cercados por contingências, contratempos e desconfortos que ocasionalmente contribuem para deixar nossos planos ou desejos para mais tarde e, em alguns casos, abandoná-los completamente. Saber como lidar com essas situações e, finalmente, tolerar a frustração que elas produzem é a melhor ferramenta para continuar e não ficar preso.

Conteúdo

  • 1 O que é frustração?
  • 2 Como tolerar a frustração diariamente?
  • 3 7 lições fundamentais para tolerar a frustração

O que é frustração?

O sentimento que experimentamos na ausência de um objetivo ou desejo ou simplesmente quando o fazemos, mas não no nível de demanda que estabelecemos, é chamado de frustração. Algo assim como uma combinação de raiva, ansiedade, irritabilidade, decepção ou disforia Isso implica inevitavelmente desconforto.

Agora é importante notar que Nem todo mundo sente frustração nas mesmas situações, nem é experimentado com a mesma intensidade. A experiência emocional da frustração é diferente em cada pessoa. Uma série de fatores como história pessoal, experiências e educação, entre outros, tem muito a ver com a experimentação. Por exemplo, dois irmãos podem não se comportar da mesma maneira quando são reprovados em um exame, assim como dois trabalhadores da mesma empresa não mostram o mesmo comportamento quando seu projeto é negado.

Experimentar frustração é mais comum do que imaginamos, especialmente em crianças, devido ao seu baixo desenvolvimento de habilidades. Assim, a frustração é uma reação natural em que todos vivemos, mas não é por isso que devemos parar de prestar atenção a ela. A maneira como lidamos com isso será decisiva para impedir que ela domine nossas vidas, invadindo-nos de desconforto e dúvidas e causando-nos uma falta de motivação, o que em alguns casos pode levar a uma auto-imagem negativa.

Como tolerar a frustração diariamente?

O primeiro passo para começar a tolerar a frustração é a aceitação. Aceitar o que aconteceu e como nos sentimos é a chave.

Depois de identificarmos que estamos frustrados porque não alcançamos o que havíamos proposto ou a situação não se desenvolveu como esperávamos, é importante gerenciar o desconforto que sentimos. Para fazer isso, Podemos procurar um momento de pausa. Um momento em que podemos nos conectar, refletir e olhar em perspectiva.

Isso nada mais é do que verificar todo o processo do começo ao fim. Contrastar as expectativas que tínhamos no começo com a realidade nos dará pistas sobre como somos. Além disso, recuperaremos um estado emocional mais agradável e calmo e não nos deixaremos levar pelas emoções negativas e intensas que experimentamos inicialmente.

Ter calma nos ajudará a explorar outros caminhos, outras maneiras possíveis de fazer o que queríamos. Mesmo se estivermos frustrados com algo que aconteceu com outra pessoa, também podemos procurar maneiras possíveis de resolvê-lo ou transmitir o que pensamos. A questão não é ficarmos frustrados, mas refletir sobre como podemos avançar de uma maneira ou de outra. Agora, se isso não for possível, aceitar que não podemos fazer nada e extrair uma aprendizagem do que aconteceu seria o mais importante.

O que Nesses casos, não é aconselhável permanecer imóvel em frustração, reclamando e contornando o que aconteceu sem tirar nada em conclusão. Embora não acreditemos nisso, é uma das maneiras mais comuns de reagir quando experimentamos essa emoção. Ruminar, ruminar e ruminar. Além disso, pensar constantemente sobre isso não resolverá nada, mas manchará tudo o que estamos fazendo, dificultando nosso desempenho.

7 lições fundamentais para tolerar a frustração

Agora que sabemos o que é frustração e como podemos gerenciá-la em nossa vida cotidiana, é conveniente aprofundarmos o maravilhoso aprendizado que podemos obter através dela. Assim, tolerar a frustração nos ensina que:

  • Aceitar não tem nada a ver com obter, mas com gerenciar.
  • Na maioria das vezes o prêmio não é o objetivo, mas o caminho percorrido.
  • A diferenciação entre expectativas e realidade nos dará pistas sobre nosso estado emocional.
  • Ficar na denúncia não traz nada e nos ancora à vitimização.
  • É possível explorar outros caminhos. Às vezes, objetivos, relacionamentos ou desejos exigem mais esforço do que pensávamos.
  • Focar em soluções é muito mais construtivo Nós nos concentramos no problema.
  • O requisito tem um limite. Tudo não pode ser perfeito.

Frustrar-nos é necessário porque não ensina o valor do esforço e a oportunidade dos erros. Mas, antes de tudo, o importante é o que fazemos com essa frustração, como gerenciamos e como a usamos para continuar crescendo.