Em formação

O que é uma personalidade narcisista e pode ser tratada?

O que é uma personalidade narcisista e pode ser tratada?



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O transtorno de personalidade narcisista (NPD) tornou-se uma condição controversa, principalmente porque é frequentemente mal compreendido. Também foi estigmatizado como uma escolha pessoal de comportamento, o que não é.

Pessoas com transtorno de personalidade narcisista (NPD) são frequentemente consideradas egocêntricas, sem empatia e com grande necessidade de atenção e reconhecimento. Mas por trás desse aparente senso de superioridade estão outros aspectos importantes em jogo.

Pessoas com NPD podem enfrentar desafios em seus relacionamentos por causa de como são percebidos e como agem.

O aconselhamento e o apoio profissional às vezes podem ajudá-los a encontrar uma maneira diferente de se conectar com outras pessoas e controlar as mudanças de humor que podem caracterizar esse transtorno de personalidade.

A ajuda está disponível se você ou alguém que você ama está explorando um diagnóstico de NPD. Você pode achar este artigo e os recursos listados no final um bom ponto de partida.

NPD é um dos 10 transtornos de personalidade. Trata-se de um grupo de condições de saúde mental caracterizadas por pensamentos, emoções e comportamentos persistentes que podem ser prejudiciais à pessoa com o transtorno ou a outras pessoas.

Em geral, um profissional de saúde mental diagnostica um transtorno de personalidade se pelo menos estes dois critérios forem atendidos:

  1. Traços de personalidade tornam difícil para essa pessoa se relacionar e se conectar com outras pessoas ou com ela mesma. Por exemplo, como eles controlam seu próprio comportamento ou como respondem emocionalmente a outras pessoas.
  2. Traços de personalidade patológicos continuam aparecendo em muitas situações diferentes.

“Patológico”, em termos de saúde mental, refere-se a pensamentos, emoções ou comportamentos que afetam negativamente como uma pessoa vê, se relaciona e se adapta ao mundo ao seu redor.

Patológico também pode se referir a características causadas por uma condição física ou mental que não são esperadas ou aceitas na cultura em que vivem.

Nem todos os transtornos de personalidade apresentam os mesmos sintomas ou traços de personalidade patológicos. É por isso que eles são classificados em três grupos ou clusters diferentes.

Esta classificação é baseada em seus traços de personalidade mais representativos:

  • Cluster A: estranho e excêntrico
  • Cluster B: dramático e errático
  • Cluster C: com medo e ansioso

NPD faz parte do cluster B de transtornos de personalidade.

NPD é um diagnóstico formal de saúde mental e não apenas um tipo de personalidade ou uma escolha pessoal.

Compreender essa diferença é a chave para gerenciar os sintomas e apoiar alguém que recebeu este diagnóstico.

Uma condição de saúde mental, incluindo um transtorno de personalidade, afeta o modo como alguém se sente, pensa e se comporta.

Por sua vez, isso pode afetar profundamente a vida cotidiana e como as pessoas funcionam em seus relacionamentos, no trabalho e em geral.

Pesquisadores descobriram que, especificamente, alguém com NPD pode ter uma capacidade menor do que outros para reconhecer e compreender como e por que pensam e se comportam da maneira que pensam.

Da mesma forma, eles podem ter dificuldade em se relacionar com o que outras pessoas sentem ou fazem.

Como um transtorno de personalidade do cluster B, o NPD é caracterizado principalmente por comportamentos que são:

  • dramático e exagerado
  • emocional e intenso
  • errático e imprevisível

Mais especificamente, os médicos diagnosticam NPD quando uma pessoa apresenta cinco ou mais sintomas específicos.

Esses sintomas de NPD foram estabelecidos pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) publicado pela American Psychiatric Association. É um manual que os profissionais de saúde mental usam como referência de classificação para fazer diagnósticos precisos.

Nem todos com NPD terão esses sintomas no mesmo grau ou intensidade, mas cinco deles precisam estar presentes ao longo do tempo e em diferentes situações para que um diagnóstico seja feito.

Mesmo que ainda não haja consenso, alguns especialistas acreditam que fragilidade, medo e baixa autoestima podem explicar alguns sintomas de NPD.

Grandiosidade e auto-importância

O exagero costuma ser a base da grandiosidade. Isso significa que as pessoas com NPD tendem a ter um senso inflado de auto-importância. Eles podem se sentir mais poderosos, inteligentes, capazes e charmosos do que realmente são e mais do que as outras pessoas em geral.

Para reafirmar esse senso de superioridade, alguém com NPD pode exagerar ou mentir sobre suas realizações, habilidades e talentos.

Para algumas pessoas com NPD, esse senso de superioridade não é tão evidente na forma como se comportam. Alguns podem ser tímidos ou retraídos, mas ainda podem acreditar firmemente que são superiores em um ou muitos aspectos em comparação com outras pessoas.

Fantasias de perfeição e superioridade

Pessoas com NPD podem constantemente fantasiar sobre ter poder, inteligência, beleza, aceitação ou amor ilimitados. Muitas vezes acreditam que merecem mais do que os outros.

Sensação de especialidade e singularidade

Pessoas com NPD podem ter a necessidade de destacar o quão especiais e únicos eles são em comparação com todos os outros.

Isso também os leva a acreditar que só podem ser compreendidos ou associados a outras pessoas e grupos especiais e únicos.

Se alguém não os "entende", é porque eles não são tão inteligentes, especiais ou únicos.

Necessidade de elogio e atenção

Pessoas com NPD podem ter uma necessidade constante de ser admiradas e elogiadas. Eles podem buscar atenção constante e podem não aceitar qualquer forma de crítica.

Eles também podem se ressentir de outros que não acham que o que estão fazendo e dizendo é excepcional.

Forte senso de direito

Alguém com NPD pode estar convencido de que merece um tratamento especial e tem direito a todos os privilégios disponíveis.

Da mesma forma, as pessoas com NPD podem sentir que todos devem cumprir suas expectativas e demandas.

Uma tendência de explorar os outros

Táticas de manipulação e exploração são muito comuns em muitas pessoas com NPD. Isso significa que eles podem tirar vantagem dos outros para atingir seus próprios objetivos, porque há uma necessidade de ganho pessoal acima de tudo.

Pessoas com NPD também podem usar estratégias como espalhar mentiras sobre os outros para progredir.

Em muitos casos, uma pessoa com NPD pode recorrer à crueldade quando sente que suas necessidades não são atendidas ou se alguém não a trata da maneira que ela espera.

Falta de empatia

Alguém com NPD pode ser incapaz de se conectar com as necessidades dos outros ou se colocar no lugar de outra pessoa. Esta é uma das principais razões pelas quais eles podem se comportar de forma cruel ou exploradora.

Essa falta de empatia também pode se manifestar como egoísmo, desconsideração e falta de compaixão pelo que os outros estão vivenciando ou sentindo.

Ciúme, inveja e desconfiança

Pessoas com NPD geralmente acreditam que os outros estão competindo com eles ou têm inveja de quem eles são. Da mesma forma, muitas vezes podem competir com outras pessoas ou sentir inveja de suas realizações.

Arrogância e desprezo

Algumas pessoas com NPD podem desconsiderar os outros como inúteis, ridículos ou desprezíveis. Essa crença pode levá-los a uma atitude de arrogância e desprezo.

Agora é aceito que existem diferentes níveis e tipos de NPD.

Principalmente, os especialistas se concentram em dois subtipos diferentes de NPD.

Narcisismo evidente

Este subtipo de narcisismo, também denominado narcisismo grandioso, é o mais conhecido. É caracterizado principalmente por atitudes e comportamentos que são:

  • arrogante
  • pretensioso
  • dominante
  • exibicionista
  • agressivo
  • seguro de si

Narcisismo oculto

Este outro subtipo de narcisismo se refere a pessoas cujas atitudes e comportamentos são mais típicos:

  • ansioso
  • excessivamente sensível, especialmente no que diz respeito a críticas
  • inseguro
  • defensiva
  • depressivo
  • retirado

Mesmo que esse tipo de narcisismo seja menos óbvio, alguém com narcisismo encoberto ainda exibirá comportamentos egocêntricos, secretamente acreditará que é superior a todos os outros e terá uma capacidade reduzida de se colocar no lugar dos outros.

A maioria de nós exibirá pelo menos um traço narcisista em algum momento de nossas vidas. Podem ser considerados comportamentos ou atitudes narcisistas, mas diferem de um transtorno de personalidade em gravidade, frequência e duração.

Existem muitos traços de personalidade, como generosidade e discrição, por exemplo. Eles aparecem em maior ou menor grau em todos nós. A mesma coisa acontece com um traço narcisista.

O narcisismo, ou pelo menos alguns aspectos dele, pode ser um traço normal de personalidade em algumas pessoas.

Em outros, a gravidade e a intensidade desses traços narcisistas são tais que afetam e magoam permanentemente a maneira como se relacionam com os outros e consigo mesmos.

O narcisismo como um traço de personalidade pode ocasionalmente aparecer em alguns de nossos comportamentos ou pensamentos.

Por exemplo, você pode ter uma rivalidade contínua com um colega de trabalho. Isso pode levar você a fazer comentários sarcásticos sobre eles ou exagerar os elogios que recebeu de seu chefe quando eles estão por perto. Talvez você até dê a eles uma avaliação injustamente ruim em algum momento.

Mas esta é uma reação ocasional relacionada a esse colega de trabalho específico, em vez de uma atitude generalizada em relação a todos os demais o tempo todo.

Por outro lado, o narcisismo em alguém com NPD é um traço persistente e característico.

Por exemplo, você tem uma rivalidade contínua com todos os seus colegas de trabalho e até mesmo com seu chefe. Você acha que é mais inteligente e capaz do que eles, e você deve estar em uma função mais elevada.

Isso aconteceu com você em seus dois últimos empregos. Em geral, você se sente muito superior às pessoas que encontra na escola, no trabalho e em outros lugares.

Lembre-se de que NPD é uma condição de saúde mental. Não se refere a alguém:

  • tendo alta autoestima
  • demonstrando confiança social
  • sendo assertivo
  • estar orgulhoso de suas verdadeiras realizações
  • cuidando de sua aparência física
  • sendo competitivo
  • não gostando de você

NPD é um dos transtornos de personalidade menos estudados. Isso dificulta a compreensão de suas causas e opções de tratamento.

Há pouco acordo dentro da comunidade médica sobre o que realmente faz com que alguém desenvolva NPD.

A maioria dos pesquisadores acredita que o NPD é uma resposta a uma combinação de dois ou mais desses fatores:

  • influências ambientais e culturais
  • experiências do início da vida e o vínculo pai-filho
  • genética

Em outras palavras, alguém pode ter desenvolvido traços narcisistas em resposta a situações específicas que vivenciou desde muito cedo na vida, como:

  • um evento traumático
  • negligência e abandono
  • crítica excessiva de um ente querido
  • morar com um dos pais ou responsável com um problema de saúde mental
  • abuso de qualquer tipo
  • discriminação
  • mimos e elogios excessivos
  • um histórico médico de NPD na família
  • crescendo em uma cultura individualista

Nem todos responderão da mesma forma a esses eventos. É por isso que é difícil para os pesquisadores determinar as causas exatas de um transtorno de personalidade.

Além disso, esses mesmos motivos podem levar alguém a se comportar de uma determinada maneira que pode ser percebida como narcisista, mesmo que não seja NPD.

O diagnóstico de NPD deve ser deixado apenas para um profissional de saúde mental.

Pode ser tentador avaliar alguém que você conhece com base nessas informações, mas, na realidade, o narcisismo vai muito além de alguns comportamentos ou atitudes. É impossível para alguém não formalmente treinado e educado fazer um diagnóstico adequado.

Um psiquiatra, psicólogo ou outro profissional de saúde mental normalmente faz um diagnóstico de NPD após ter acesso direto à pessoa e seu histórico médico.

Mesmo para um profissional de saúde mental, pode não ser tão fácil em alguns casos diagnosticar NPD. Isso ocorre porque é raro que alguém com NPD se comprometa a buscar ajuda, fale abertamente sobre seus pensamentos ou mesmo participe de uma sessão de terapia.

Um profissional de saúde mental pode seguir o modelo DSM-5 para diagnosticar NPD. Eles irão então observar e medir o seguinte:

  • traços de personalidade individuais
  • como a pessoa funciona no mundo (relacionamentos, empregos, etc.)
  • senso de identidade
  • autoestima e mudanças relacionadas à sua autoimagem ao longo do tempo
  • se a pessoa é capaz de empatia

O profissional de saúde mental tentará identificar cinco ou mais dos sintomas de NPD. Se o fizerem, serão capazes de fazer um diagnóstico e recomendar o tratamento adequado.

Mesmo que os adolescentes possam apresentar sinais precoces do transtorno, a NPD geralmente é diagnosticada na idade adulta.

Isso porque crianças e adolescentes ainda estão em constante desenvolvimento físico e mental. Essas mudanças contínuas de personalidade em uma idade precoce podem dificultar o reconhecimento de padrões duradouros de comportamento.

Se um diagnóstico de NPD é feito durante a adolescência, é porque há um padrão claro de comportamento que é evidente há mais de 1 ano.

Tem havido alguma controvérsia sobre como o NPD é diagnosticado.

Isso ocorre principalmente porque muitos profissionais de saúde mental se concentraram nos comportamentos interpessoais mais visíveis daqueles com NPD e não o suficiente nas lutas internas, vulnerabilidades e desafios com os quais vivem. Isso às vezes leva a julgamento em vez de compreensão.

Os especialistas estimam que cerca de 5,3% da população dos EUA tem NPD. É uma estimativa porque um diagnóstico depende de muitos fatores, incluindo o quão disposta uma pessoa está em buscar um diagnóstico e tratamento. Esse pode não ser o caso de muitas pessoas com o transtorno.

Os diagnósticos de NPD são mais comuns entre os homens do que entre as mulheres. Cinqüenta a 75% das pessoas diagnosticadas com NPD são do sexo masculino.

A terapia tem o potencial de ajudar alguém com NPD a desenvolver habilidades e estratégias que podem ajudá-lo a mudar a maneira como se relaciona com os outros e consigo mesmo.

O desafio é que muitas pessoas com transtornos de personalidade muitas vezes não procuram tratamento até que o transtorno comece a interferir significativamente ou impactar de outra forma suas vidas.

Pessoas com NPD às vezes são mais propensas a desenvolver outras condições de saúde mental, como:

  • transtorno de ansiedade
  • depressão
  • transtorno de uso de substância

Em muitos casos, eles podem procurar ajuda para tratar essas condições e não o NPD em si.

Às vezes, uma pessoa com NPD pode procurar tratamento por outras razões além de acreditar que tem um problema. Por exemplo, quando se sentem em conflito porque seus relacionamentos ou modo de vida não estão de acordo com seus próprios padrões elevados. Ou quando sentem que estão perdendo a admiração ou o interesse de alguém.

Quando alguém com NPD vem para a terapia por essas razões, eles não estão cientes de que essas dificuldades podem vir de seus próprios traços de personalidade. Eles podem culpar os outros por seus problemas e podem ver a terapia como um lugar para desabafar, não querendo aceitar qualquer responsabilidade.

Mesmo quando o tratamento NPD é procurado, estudos de casos clínicos sugerem que as pessoas com NPD têm dificuldade em permanecer na terapia por tempo suficiente para levar a mudanças de comportamento a longo prazo.

Por um lado, as pessoas com NPD podem enfrentar desafios ao interagir com outras pessoas em geral, o que se mostra no cenário terapeuta-cliente. Além disso, eles nem sempre reconhecem que têm um problema.

Às vezes, quando uma pessoa com NPD permanece em terapia, ela pode mostrar um progresso lento e relutar em mudar por causa dos traços de personalidade essenciais do transtorno. Uma vez que eles podem não aceitar a responsabilidade, eles podem não encontrar nenhuma razão válida para mudar.

Em qualquer caso, a psicoterapia de longo prazo parece ser o tratamento mais eficaz para NPD.

Quando a pessoa se compromete com um tratamento de longo prazo, um terapeuta pode ajudá-la:

  • regular e compreender suas próprias emoções
  • identificar comportamentos e atitudes que podem levar a conflitos com outras pessoas
  • desenvolver a capacidade de prevenir e mudar esses comportamentos
  • gerenciar reações a críticas e feedback
  • desenvolver habilidades para construir relacionamentos mais íntimos e estáveis
  • desenvolver mecanismos de enfrentamento adaptativos
  • explorar, tolerar e compreender as perspectivas de outras pessoas

Esses objetivos são específicos para cada caso e variam de acordo com as necessidades da pessoa e a abordagem do terapeuta.

Muitas abordagens de psicoterapia têm sido usadas para tratar NPD. Os mais comuns incluem:

  • psicoterapia psicanalítica
  • terapia cognitiva comportamental
  • psicoterapia focada no esquema
  • psicoterapia interpessoal metacognitiva
  • terapia comportamental dialética

O transtorno de personalidade narcisista (NPD) é um diagnóstico formal de saúde mental. Não é uma escolha pessoal de comportamentos. Requer um diagnóstico adequado por um profissional de saúde mental.

Embora existam diferentes subtipos de NPD, os sintomas mais comuns são um forte senso de direito e superioridade, necessidade de atenção e falta de empatia.

Esses sintomas podem ter um impacto direto no modo como a pessoa se relaciona com os outros e consigo mesma.

As pessoas podem controlar os sintomas de NPD quando estão comprometidas em permanecer na terapia por um longo prazo. O tratamento pode ajudar a regular as emoções e mudar comportamentos prejudiciais para saudáveis.


Transtorno de personalidade narcisista

Um narcisista é uma frase de efeito comum que descreve alguém que age de maneira egocêntrica ou vaidosa. O que muitas pessoas não sabem é que o narcisismo, ou transtorno de personalidade narcisista (NPD), é na verdade uma condição séria.

Se você tem um diagnóstico de NPD, outras pessoas podem vê-lo como apenas preocupado com seus desejos e necessidades ou tendo uma necessidade infinita de elogios. Mas por dentro, você pode se sentir inseguro, inferior e vazio. Ter NPD torna difícil se relacionar com outras pessoas ou ter uma autoestima genuína. Isso pode afetar o relacionamento com sua família, amigos e colegas de trabalho.

Quão comum é o transtorno de personalidade narcisista?

Os especialistas estimam que até 5% das pessoas têm NPD. O narcisismo é um dos dez transtornos de personalidade. Esses distúrbios fazem com que as pessoas pensem, sintam e se comportem de maneiras que prejudicam a si mesmas ou a outras pessoas. Os sinais de transtornos de personalidade geralmente aparecem no final da adolescência e no início da idade adulta.


A Natureza do Transtorno da Personalidade Narcisista

Na mitologia grega, o jovem caçador Narciso ficou tão extasiado com sua própria beleza que olhou para seu reflexo em um lago, hipnotizado, até definhar e morrer. Nós pegamos o termo narcisismo, significando auto-absorção e auto-admiração, dele. Embora o narcisismo possa ser relativamente inofensivo, o transtorno de personalidade narcisista não tratado pode ser perturbador e prejudicial, tanto para o indivíduo com a doença quanto para as pessoas mais próximas a ele.

As causas precisas do transtorno de personalidade narcisista são desconhecidas, embora seja provável que tenha uma ligação genética e ambiental. A condição é possivelmente formada na infância por meio da educação inconsistente ou inadequada de alguém com pais que foram muito indulgentes ou muito críticos durante seus anos de formação e podem ter maior probabilidade de desenvolver esse transtorno. As características do transtorno de personalidade narcisista incluem o seguinte:

  • Baixos níveis de empatia
  • Altos níveis de insegurança
  • Um senso inflado de auto-importância
  • Um senso de direito
  • Uma tendência para exagerar
  • Arrogância e ostentação
  • Propenso a menosprezar os outros
  • Uma expectativa de tratamento especial, seguida por uma reação de raiva se não for recebido

Se você é próximo de alguém com esse transtorno, seu comportamento obcecado por si mesmo e, particularmente, sua incapacidade de sentir empatia por seus sentimentos, pode funcionar para afastá-lo. O tratamento é necessário para prevenir ou reparar as relações interpessoais prejudicadas por essa condição.


O que é transtorno de personalidade narcisista e como ele pode ser tratado?

Provavelmente todos nós já ouvimos a palavra 'narcisista' e talvez até a tenhamos usado para descrever alguém que conhecemos ou que encontramos, mas, assim como com outros transtornos de personalidade, a verdade é algo um pouco diferente do que a maioria de nós provavelmente pensa. Um narcisista não é apenas alguém que pensa sobre si mesmo, é alguém que tem uma visão extremamente inflada de si mesmo e uma necessidade muito forte de que os outros o aceitem e admirem. É uma desordem de contradições.


Fonte: rawpixel.com

O que é o Transtorno da Personalidade Narcisista (NPD)?

Alguém com um transtorno de personalidade narcisista tende a ser extremamente focado em sua própria importância. Onde a maioria das pessoas se considera muito importante, um narcisista acredita nisso com um grau ainda mais forte. Na verdade, eles acreditam tanto nisso que têm pouca empatia ou se importam com os outros porque acreditam que esses outros estão ali apenas para tornar sua vida melhor ou mais fácil. Ao mesmo tempo, porém, têm um senso de auto-estima muito frágil, que os faz ansiar pela admiração e atenção dos outros e desmoronar ao primeiro sinal de crítica.

Sintomas de transtorno de personalidade narcisista

O único meio confiável de diagnóstico é através da avaliação e avaliação realizada por um profissional de saúde mental, mas conhecer os sintomas pode ajudá-lo a considerar se você ou alguém que você conhece pode precisar de ajuda. Lembre-se de que nem todos esses sintomas precisam estar presentes e, geralmente, apenas alguns requerem algum tipo de intervenção de um profissional de saúde mental licenciado.

  • Senso de autoestima e importância excessivamente exagerado
  • Exagera suas próprias realizações e talentos
  • Espera reconhecimento e tratamento como superior, mesmo quando não é garantido
  • Crença na extrema superioridade sobre os outros
  • Quer e precisa de admiração e elogios constantemente
  • Sente-se com direito a tudo e qualquer coisa que quiser, quando quiser
  • Aproveita as outras pessoas para conseguir o que desejam
  • Ignora ou não reconhece necessidades ou sentimentos de outras pessoas
  • Acredita que está acima da média das pessoas e não pode ser compreendido por ela
  • Tem muita inveja dos outros
  • Acredita que é o sujeito da inveja dos outros
  • Age de forma arrogante ou arrogante com outras pessoas
  • Requer o melhor de tudo, mesmo quando não importa
  • Por baixo da capa, eles são inseguros, vulneráveis ​​e facilmente humilhados
  • Menospreza os outros para que se sinta mais importante
  • Obcecado em alcançar poder e reconhecimento
  • Reage mal a qualquer sinal de crítica
  • Tende a monopolizar qualquer conversa


Fonte: rawpixel.com

Arrogante ou narcisista?

Quando uma pessoa é simplesmente arrogante e quando ela cruzou a linha de ser uma pessoa narcisista? Bem, geralmente isso acontece quando eles deixam de ter confiança em si mesmos e passam a acreditar que são mais importantes do que os outros. Uma pessoa arrogante pode ter um senso de autoestima um pouco inflado, mas geralmente reconhece os outros por suas ações (embora a contragosto). Eles também podem ter dificuldade com críticas, mas podem reconhecer (e às vezes tentar explorar) os sentimentos ou necessidades dos outros.

Em geral, uma pessoa arrogante não tem transtorno mental e cultivou seu senso de superioridade como resultado de suas realizações. Uma pessoa narcisista tem um senso inato de sua superioridade que mesmo ela pode não ser capaz de explicar completamente, para ela isso é um fato simples e aqueles que discordam são freqüentemente vistos como culpados por isso. Pensa-se que o transtorno de personalidade narcisista, como outros transtornos de personalidade, se desenvolve devido a uma mistura de fatores ambientais e biológicos, ou da natureza e da criação. Especificamente, a rejeição precoce durante a infância está ligada ao desenvolvimento de traços de personalidade narcisistas.


Fonte: rawpixel.com

Como o NPD é diagnosticado

Como outros transtornos de personalidade, o NPD é avaliado por meio de entrevistas clínicas e avaliações formais administradas por um profissional de saúde mental licenciado. Um histórico familiar será coletado e o paciente provavelmente será encaminhado para uma avaliação médica para descartar problemas médicos subjacentes que podem estar resultando em certos comportamentos. O diagnóstico formal desse transtorno é relativamente raro, pois muito poucas pessoas com NPD se apresentarão para o tratamento do transtorno.

O Processo de Tratamento

O tratamento incluirá psicoterapia, como terapia cognitivo-comportamental, que ajuda a descobrir crenças subjacentes que apóiam os comportamentos, pensamentos e sentimentos considerados perturbadores para a vida diária com NPD. A terapia também ajudará a fornecer apoio para uma pessoa reparar e construir relacionamentos com entes queridos, que muitas vezes são prejudicados pelas características do NPD.

A medicação também pode ser uma ótima maneira de ajudar no processo de tratamento. Na verdade, não trata o distúrbio em si, mas é extremamente eficaz no tratamento de algumas das condições subjacentes que podem piorar o problema. Por exemplo, os medicamentos são eficazes no tratamento da depressão e da ansiedade, que definitivamente vêm junto com o transtorno de personalidade narcisista. É importante examinar todas as suas opções de tratamento e descobrir com seu médico um caminho que funcione para você.


Fonte: rawpixel.com

O futuro com transtorno de personalidade narcisista

Assim como outros transtornos de personalidade, é difícil realmente superar o transtorno. Você nunca vai se "curar" porque, na verdade, é uma parte inata de você, mas você pode definitivamente ter sucesso em um tratamento onde será capaz de viver uma vida saudável e produtiva. O mais importante é estar sempre consciente do que está acontecendo em sua vida e em sua mente.


Fonte: rawpixel.com

BetterHelp é uma forma de buscar tratamento. Com os terapeutas da BetterHelp, você pode entrar em contato com conselheiros ou psicólogos licenciados e profissionais que podem ajudá-lo a começar a aprender as habilidades necessárias para lidar com o NPD. BetterHelp permite que você receba tratamento na privacidade de sua própria casa e de seu dispositivo favorito por mensagem de texto, chamada ou chat de vídeo. Não há nada mais importante do que sua saúde e bem-estar a longo prazo, e você pode começar a fazer isso hoje de forma privada e conveniente.

O aconselhamento online pode ajudar os narcisistas em vários aspectos do NPD. De acordo com a Clínica Mayo, a terapia da conversa pode ajudar os indivíduos com NPD a aprender a se relacionar melhor com os outros, compreender emoções pessoais, impulsos e questões relacionadas à autoestima, tolerar melhor as críticas / falhas, regular os sentimentos e definir metas alcançáveis, apenas para citar uns poucos. Um profissional licenciado estará familiarizado com o NPD e pode fornecer uma visão e orientação que você poderá relacionar à sua vida. Eles podem ajudá-lo a reconhecer padrões que afetam sua vida e / ou relacionamentos interpessoais, bem como ajudar a desenvolver habilidades e estratégias para refinar habilidades nessas áreas.

O aconselhamento online é uma maneira altamente acessível de se conectar com alguém que pode lançar luz sobre NPD e está bem equipado para ajudar, especialmente se você acha que pode estar criando desafios em sua vida. Você poderá falar com um profissional de saúde mental licenciado por telefone, videoconferência, mensagens, chat ou texto, de qualquer lugar com esses tipos de conexão disponíveis. Além disso, é normalmente mais acessível do que as sessões presenciais tradicionais.

A seguir estão depoimentos de usuários, leia o que outras pessoas têm a dizer sobre nossos conselheiros e comece sua jornada pessoal hoje.

& ldquoJeffrey Owen possui um vasto conhecimento e experiência. Ele é claramente hábil em sua orientação, permitindo-me compreender as complexidades do narcisismo e o impacto de tal abuso ao longo da vida que eu não tinha entendido totalmente. Ler sobre o assunto é útil, mas ter aconselhamento para explorar de uma maneira diferente é fortalecedor para um sobrevivente como eu. Obrigado, Jeff. & Rdquo

& ldquoBusola é incrível, só tive algumas sessões com ela, mas ela me faz sentir ouvida. Ela entende quais são minhas necessidades primárias para cada sessão e as atende. Além disso, não parece ser apenas a hora de falar e descarregar tudo em alguém, mas ela aborda os padrões de comportamento negativos e ajuda a criar um plano de ação para eles. & Rdquo


Atualmente, não há tratamentos com suporte empírico para NPD e nenhum ensaio clínico publicado de tratamentos para NPD sozinho ou co-ocorrendo com BPD.

A pesquisa publicada sobre o tratamento do NPD é limitada a alguns estudos de caso ou relatos anedóticos, mas esses tipos de estudos tendem a não ser confiáveis ​​e estão sujeitos a vieses. A literatura de estudo de caso sobre o tratamento do NPD centrou-se principalmente no uso de técnicas psicanalíticas modificadas e reconheceu os desafios do tratamento bem-sucedido desse transtorno.

A literatura clínica, em geral, tende a considerar a NPD como uma condição amplamente intratável, particularmente em suas formas mais graves.

Algumas pessoas acreditam que, como há alguma sobreposição entre o NPD e os sintomas do TPB (como impulsividade e comportamentos destrutivos), os tratamentos projetados para o TPB, como a terapia comportamental dialética (TCD), também podem funcionar com o TPP. No entanto, isso ainda está para ser visto, e mais pesquisas sobre o assunto são extremamente necessárias.


Sintomas de transtorno de personalidade narcisista

Os sintomas do Transtorno da Personalidade Narcisista são definidos por um conjunto de critérios apresentados pela American Psychiatric Association em seu Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais. Os critérios são:

Grandioso senso de auto-importância: pessoas com Transtorno da Personalidade Narcisista tendem a se sentir mais importantes do que são. Seu senso de auto-importância é freqüentemente desproporcional ao que eles realmente foram capazes de alcançar. Acompanhando esse senso de auto-importância geralmente estão se gabando e se exibindo.

Preocupação com fantasias de ilimitado algo: pessoas com o transtorno às vezes podem fantasiar sobre seus níveis de grandeza e poder ou brilho e inteligência ou sua beleza incomparável. Quando isso é feito, muitas vezes atribuem a fantasia a uma figura mítica ou histórica que a realizou.

Fonte: rawpixel.com

A crença de que são superiores, especiais ou únicos: Pessoas com NPD tendem a se sentir especiais e mais importantes do que qualquer pessoa ao seu redor. Esse sentimento está ligado à crença de que só podem ser compreendidos por pessoas ou instituições tão especiais e importantes quanto eles.

Exigindo admiração excessiva: Pessoas com NPD (Transtorno de Personalidade Narcisista) geralmente se exibem muito na tentativa de serem notados e receber elogios. Freqüentemente, precisam de elogios e admiração para alimentar seus sentimentos de que são especiais. Quando não recebem sua dose de adoração, podem tornar-se falsamente charmosos e lisonjeiros para obter a dose necessária de admiração.

Sentido de direito: Uma vez que esperam que outras pessoas percebam como eles são especiais, as pessoas com NPD podem parecer condescendentes. Eles acham que as outras pessoas precisam mostrar-lhes o devido respeito que merecem. Eles geralmente agem de maneiras que mostram esse senso de direito, por exemplo, eles podem cruzar as linhas e esperar ser atendidos primeiro.

A exploração de outros: Pessoas com Transtorno da Personalidade Narcisista podem tirar vantagem das pessoas ao seu redor. Por exemplo, eles podem receber o crédito exclusivo pelo trabalho realizado por um grupo do qual fazem parte. Eles tendem a sentir que os fins justificam os meios.

Falta de empatia: Pessoas com NPD podem às vezes ser incapazes de compreender e sentir as necessidades emocionais de outras pessoas. Freqüentemente, estão muito absortos em pensar em si mesmos. Freqüentemente, eles podem se relacionar com o que as outras pessoas sentem. Muitas vezes genuinamente não entendem o ponto de vista de outras pessoas.

Muitas vezes inveja dos outros ou acredita que os outros têm inveja deles: Pessoas com NPD geralmente acreditam que os outros têm inveja deles devido ao seu status especial. Freqüentemente, também invejam os outros, especialmente se tais pessoas têm mais coisas ou são mais bem-sucedidas. Em casos como esse, eles podem desacreditar essas pessoas, questionando os meios que adquiriram ou fazendo seu sucesso parecer comum.

Comportamentos arrogantes e arrogantes: Pessoas com Transtorno da Personalidade Narcisista podem ser muito esnobes, desdenhosos e condescendentes. Freqüentemente, falam com desprezo às pessoas que acreditam ser inferiores a eles.

Para dizer que uma pessoa tem Transtorno da Personalidade Narcisista, ela deve ter pelo menos cinco dos sintomas discutidos.

Além disso, os sintomas devem ser imutáveis, inadequados e contínuos. It should be causing significant functional impairment and or subjective distress to the individual.

Associated Features of Narcissistic Personality Disorder

Some features point to Narcissistic Personality Disorder but are not diagnostic of it. Eles são:

Since people with the disorder have a fragile self-esteem, they are very sensitive to &ldquoinjury&rdquo from criticism or defeat. When they get defeated, they often turn to react with anger, disdain, or blaming others. It can sometimes lead to social withdrawal.

Because they use those close to them, are typically insensitive to the emotions of others, and have a sense of entitlement and constant need for admiration, they tend to have few friends. They are also likely to have strained relationships with those close to them.

They are sometimes unwilling to take a risk because they are worried about failing, and this will shatter their opinions that they are the best. They are also unable to accept defeat, which may add to their unwillingness to take a risk.

Narcissistic Personality Disorder is associated with mood disorders such as hypomania, depression, bipolar disorder. It is also associated with other mental disorders such as anorexia nervosa and substance use disorders (especially cocaine).

Narcissistic traits are common in adolescence. Most people, however, don&rsquot grow up to have Narcissistic Personality Disorder. Most of the people who have the symptoms in adolescence outgrow them and are well adjusted by adulthood. Most of the people who develop Narcissistic Personality Disorder are male (about 75%).

Differentials of Narcissistic Personality Disorder

Narcissistic Personality Disorder shares symptoms with some other personality disorders. These disorders can look so similar to Narcissistic Personality Disorder that they might be mistaken for each other. This is most likely with other personality Disorders such as Histrionic Personality Disorder, Antisocial Personality Disorder, and Borderline Personality Disorder, which are characterized by flirting, meanness, and neediness, respectively. These personality disorders can all be differentiated from Narcissistic Personality Disorder by the grandiosity seen in people with Narcissistic Personality Disorder.

Obsessive-Compulsive Personality Disorder can also be a differential for Narcissistic Personality Disorder. People with both disorders believe in perfection and don&rsquot like other people doing their work because other people might not do well the work they wish to do. People with Obsessive-Compulsive Personality Disorder are likely to be self-critical when they don&rsquot attain the perfection they want and crave. In contrast, people with Narcissistic Personality Disorder feel they have attained such perfection.

Suspiciousness and social withdrawal may also distinguish those with Schizotypal or Paranoid Personality Disorder from those with Narcissistic Personality Disorder. When people with Narcissistic Personality Disorder withdraw from social interaction, it might be because of fear that their imperfections have been discovered.

People who have Substance use disorders might also show symptoms similar to those of people with Narcissistic personality disorder. These symptoms are more apparent with persistent substance use.

Treatment of Narcissistic Personality Disorder

Narcissistic Personality Disorder and its comorbidities can be treated in two main ways:

Psicoterapia

The main treatment type recommended for personality disorders, including Narcissistic Personality Disorder. It involves an individual (or a group of individuals) with a disorder talking to and carrying out activities with and under the guidance of a therapist (or a group of therapists).

Pharmacotherapy

Medications have not been proven to be very effective in treating Narcissistic Personality Disorder. Medications can, however, be used to treat co-morbidities. Comorbidities are like depression, and antidepressants and anxiolytics can be used to treat anxiety. Mood stabilizers can be used to treat some impulsive behaviors seen in Narcissistic Personality Disorder.

Disclaimer: Please don&rsquot take any medication without first consulting your doctor.

Fonte: rawpixel.com

Outras informações

Narcissistic Personality Disorder is more complex than has been described in this piece. If you are worried that you or someone you love is Narcissistic, you can get further information and advice on what to do about the disorder from highly competent mental health professionals at BetterHelp.

Referência
American Psychiatric Association (2013). Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, Fifth Edition (DSM- 5) American Psychiatric Association, Washington, DC.


10 Stages in the Treatment of Narcissistic Personality Disorder

Narcissists can slowly change, with appropriate therapy and a lot of effort.

By Dr. Elinor Greenberg

The internet is full of sites by non-mental health professionals that say that narcissistic personality disorder cannot be treated. They also say that narcissists are master manipulators who can fool even experienced psychotherapists and what appears to progress is just a temporary behavior change. Or, else they claim that narcissists twist the truth and somehow manage to convince experienced psychotherapists that they are blameless and the real problem is someone else.

I would like to set the record straight: None of the above is true. There are effective treatments for narcissistic personality disorder. Change is difficult but possible. Everyone has the capacity to grow and evolve and this includes people with NPD.

Note: In this article, I am using the terms “narcissist,” “narcissistic,” and “NPD” as shorthand to describe people who qualify for a diagnosis of narcissistic personality disorder.

So why do so many people believe that NPD cannot be treated by psychotherapy?

There are three basic reasons that we do not hear about the successful treatment of narcissistic personality disorder:

  1. There are very few psychotherapy training institutes that focus on teaching the diagnosis and treatment of NPD. Most psychotherapy training programs are designed to turn out general practitioners, not specialists.
  2. This is a difficult, expensive, and time-consuming specialty to learn properly. At least three years of advanced training are necessary to become competent in this area.
  3. Most narcissists avoid psychotherapy or quit prematurely when they feel threatened or uncomfortable.

Resumindo: There are not enough psychotherapists available who are properly trained in the diagnosis and treatment of narcissistic personality disorder. Not many people with NPD actually want psychotherapy. And many who do want psychotherapy, do not realize that their underlying problem is narcissism. Their ignorance about the real nature of their issues leads them to choose the wrong type of therapist. This means that the majority of narcissists who enter therapy end up with psychotherapists who may not recognize that they have a narcissistic personality disorder, or if they do, they have no idea how to treat narcissistic issues.

Further adding to the difficulty, most narcissists quit therapy prematurely, even when they have a good therapist. This is usually because they find self-reflection incredibly painful. It involves dropping their defenses and facing their own underlying shame and low self-esteem.

“Narcissus does not fall in love with his reflection because it is beautiful, but because it is his. If it were his beauty that enthralled him, he would be set free in a few years by its fading.” – W.H. Auden

What is the therapy of narcissistic personality disorder actually like?

All psychotherapy takes longer than most clients expect. There is no ten-session cure for complex problems. Full psychotherapy of NPD generally takes at least 5-10 years. It is a long, slow, and complex process. It proceeds in stages. Clients can stop at any point. How far they get in therapy depends on how many stages they complete and how impaired they were, to begin with. High functioning narcissists who are self-reflective and cope with most parts of their life well are likely to do better in therapy than lower functioning narcissists who are unable to keep a job and have no friends.

The 10 Stages of Therapy for Narcissistic Disorders

Here is a very abbreviated look at the process. In reality, it may not be this neat or linear. And, please keep in mind, that different forms of therapy for NPD exist, and each may see the therapy process somewhat differently than I do. I am describing what my experience treating people with NPD for over 40 years has taught me.


Soluções de saúde de nossos patrocinadores

American Psychiatric Association. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, Fifth Edition. Washington, D.C.: American Psychiatric Association, 2013.

Coid, J. "Epidemiology, public health and the problem of personality disorder." The British Journal of Psychiatry 182.44 (2003): s3-s10.

Dhawan, N., M.E. Kunik, J. Oldham, and J. Coverdale. "Prevalence and treatment of narcissistic personality disorder in the community: a systematic review." Psiquiatria Abrangente 51.4 (2010): 333-339.

Gabbard, G.O., and S.W. Twemlow. "The role of mother-son incest in the pathogenesis of narcissistic personality disorder." Journal of The American Psychoanalytic Association 42.1 (1994): 171-189.

Groopman, L.C., and A.M. Cooper. "Narcissistic personality disorder." Armenian Medical Network. 2006.

Lammers, C.H., A. Vater, and S. Roepke. "Narcissistic personality disorder." Nervenarzt 84.7 July 2013: 879-886.

"The Myth of Narcissus." Greek Myths & Greek Mythology. 2014. <http://www.greekmyths-greekmythology.com>.

Perry, J.C., M.D. Presniak, and T.R. Olson. "Defense mechanisms in schizotypal, borderline, antisocial, and narcissistic personality disorders." Psiquiatria 76.1 Spring 2013: 32-52.

Ronningstam, E. "Narcissistic personality disorder: a clinical perspective." Journal of Psychiatric Practice 17.2 Mar. 2011: 89-99.

Schulze, et al. "Gray matter abnormalities in patients with narcissistic personality disorder." Journal of Psychiatric Research 47.10 Oct. 2013: 1363-1369.

Wang, Y., M. Zhu, J. Huang, et al. "Family behavior therapy for antisocial and narcissistic personality disorders in China: an open study." German Journal of Psychiatry 11 (2008): 91-97.


What Is a Narcissistic Personality and Can It Be Treated? - psicologia

eundividual diagnosed with Narcissistic PD discusses his disorder.

DSM-IV-TR criteria

A pervasive pattern of grandiosity (in fantasy or behavior), need for admiration, and lack of empathy, beginning by early adulthood and present in a variety of contexts, as indicated by five (or more) of the following:

  1. has a grandiose sense of self-importance (e.g., exaggerates achievements and talents, expects to be recognized as superior without commensurate achievements)
  2. is preoccupied with fantasies of unlimited success, power, brilliance, beauty, or ideal love (perfect marriage to the perfect spouse)
  3. believes that he or she is “special” and unique and can only be understood by, or should associate with, other special or high-status people (or institutions)
  4. requires excessive admiration
  5. has a sense of entitlement, i.e., unreasonable expectations of especially favorable treatment or automatic compliance with his or her expectations (“You owe me because I’m that good”)
  6. is inter-personally exploitative, i.e., takes advantage of others to achieve his or her own ends
  7. lacks empathy: is unwilling to recognize or identify with the feelings and needs of others
  8. is often envious of others or believes that others are envious of him or her
  9. shows arrogant, haughty behaviors or attitudes

Other Symptoms:

  • history of intense but short-term relationships with others inability to make or sustain genuinely intimate relationships
  • a tendency to be attracted to leadership or high-profile positions or occupations
  • a pattern of alternating between unrealistic idealization of others and equally unrealistic devaluation of them
  • assessment of others in terms of usefulness
  • a need to be the center of attention or admiration in a working group or social situation
  • hypersensitivity to criticism, however mild, or rejection from others
  • an unstable view of the self that fluctuates between extremes of self-praise and self-contempt
  • preoccupation with outward appearance, “image,” or public opinion rather than inner reality
  • painful emotions based on shame (dislike of who one is) rather than guilt (regret for what one has done)

Recursos associados

Individuals with Narcissistic Personality Disorder are greatly lacking in empathy and are unwilling to recognize or identify with the feelings and needs of others. They see themselves as above others and feel a strong sense of entitlement and need for admiration. Narcissistic individuals do not perceive themselves as flawed and are not likely to seek treatment. Therefore, these individuals represent less than one percent of the clinical population.

Some people who suffer from NPD also have mood disorders. Narcissistic patients only pursue relationships that will benefit them in some way. Their inflated sense of self results in a devaluation of others and their accomplishments. Patients with narcissistic personality disorder exaggerate their achievements and talents and are surprised when they do not receive the recognition they expect. These patients are prone to be more envious of other people who possess knowledge, a specific skill, or some kind of belonging that they do not possess. Patients are very self-absorbed and have a hard time responding to the needs of others. Narcissistic individuals often exhibit a history of intense but short-term relationships with others, an inability to make or sustain genuinely intimate relationships, and an unstable view of self that fluctuates between extremes of self-praise and self-contempt. Criticism may haunt them and leave them feeling humiliated, degraded, hollow, and empty, although they don’t show it. Because of the problems from entitlement and the need for admiration and their disregard for others, they have difficulty with interpersonal relationships. They may be unwilling to take part in situations in which there is risk and a possibility of defeat. NPD is also associated with anorexia nervosa, substance-related disorders, and other personality disorders.

If parents are neglectful, and they show no empathy toward the child, or if they devalue the child, then the child will always be seeking out this ideal sense of self, a narcissistic viewpoint. The reverse of this treatment by parents has also received some support. Narcissistic Personality Disorder could arise from parental overindulgence that is relatively painless but research is a little scarce for that proposition.

Hitler as an Example:

  • The first criterion for this disorder is the individual must have a lavish sense of self-importance, they over-estimate their abilities, and embellish their accomplishments. Hitler considered himself to be a very special person. He believed that he was an astounding artist and had no doubt that he was going to get into the art school in Vienna and when he didn’t he was astounded. He let the people around him believe that he had been accepted to the Viennese Academy of Fine Arts when in fact he was rejected twice.
  • The second criterion of Narcissistic Personality Disorder is the individual must be preoccupied with fantasies of unlimited success and power. In Hitler’s earlier years he had fantasies about becoming a great and powerful artist. Later he developed the fantasy of becoming the world’s greatest and most powerful leader by exterminating Jews.
  • The third criterion is that the individual believes that they are superior, special, or unique. Hitler believed that his opinions were more advanced than those around him. He insisted that everyone listen to him and he often quarreled with those who opposed him.
  • Hitler met the fourth criterion as well by needing excessive admiration. He was admired by many he came in contact with. He was able to string his friend Gustl around for so long because of the admiration Gustl had for Hitler.
  • The fifth criterion is the sense of entitlement. Hitler expected others to cater to his every need, especially his mother, sister, and aunt. Later in his life, he expected his servants and military men to serve and give him everything he wanted.
  • The sixth criterion and one of the ones Hitler showed most prominently is the exploitation of others. In his business deals, he did whatever he needed to, in order to benefit himself, even if that meant hanging others out to dry or throwing them under the bus so to speak.
  • The seventh criterion is the lack of empathy. Hitler had absolutely no empathy for what he was doing during World War II. Killing Jews and anyone who aided their survival was something easy and painless for Hitler. However, he did have empathy for his mother.
  • Envy is the eighth criteria. Individuals with Narcissistic Personality Disorder envy others and believe that others envy them as well. Hitler was very envious of Gustl’s acceptance into the Vienna Conservatoire to practice his Grand Piano.
  • The final criterion is an arrogant, snobbish, or patronizing attitude towards others. Adolf Hitler was to say the least arrogant, snobbish, and patronizing. He believed that he was the greatest artist, the smartest man, better than women, and anyone different from him was inferior.
  • It is evident that Hitler possessed characteristics that fall under all nine of the criteria so it could be possible that Hitler had Narcissistic Personality Disorder
  • (Kershaw, 2008)

Subtypes of NPD

  • Personality Subtype
  • Age Group Subtype :
    • According to the Encyclopedia of mental disorders, ever since the 1950s, when psychiatrists began to notice an increase in the number of their patients that had narcissistic disorders, they have made attempts to define these disorders more precisely. NPD was introduced as a new diagnostic category in DSM-III , which was published in 1980. Prior to DSM-III , narcissism was a recognized phenomenon but not an official diagnosis. At that time, NPD was considered virtually untreatable because people who suffer from it rarely enter or remain in treatment typically, they regard themselves as superior to their therapist, and they see their problems as caused by other people’s “stupidity” or “lack of appreciation.”
    • psychiatrists have proposed dividing narcissistic patients into two subcategories based roughly on age: those who suffer from the stable form of NPD described by DSM-IVTR , and younger adults whose narcissism is often corrected by life experiences.
    • This age group distinction represents an ongoing controversy about the nature of NPD—whether it is fundamentally a character disorder, or whether it is a matter of learned behavior that can be unlearned. Therapists who incline toward the first viewpoint are usually pessimistic about the results of treatment for patients with NPD.
    • Craving narcissists. These are people who feel emotionally needy and undernourished, and may well appear clingy or demanding to those around them.
    • Paranoid narcissists. This type of narcissist feels intense contempt for him- or herself, but projects it outward onto others. Paranoid narcissists frequently drive other people away from them by hypercritical and jealous comments and behaviors.
    • Manipulative narcissists. These people enjoy “putting something over” on others, obtaining their feelings of superiority by lying to and manipulating them.
    • Phallic narcissists. Almost all narcissists in this subgroup are male. They tend to be aggressive, athletic, and exhibitionistic they enjoy showing off their bodies, clothes, and overall “manliness.”

    Child vs. Adult Presentation

    • NPD has been seen in children, adolescents, and adulthood. There have been no further studies to determine the differences in age of this disorder. The presentation of the disorder in children and adolescents are similar the the adult presentation.

    Gender and Cultural Differences in Presentation

    • NPD is seen more in men than in women (7.7% for men and 4.8% for women) based on 34,653 face-to-face structured interviews that included DSM-IV diagnostic criteria. Black men and Hispanic women had higher rates compared with Hispanic men and Caucasians of either gender. 50%-75% of all patients are men.

    Epidemiologia

    • The prevalence of Narcissistic Personality Disorder within the general population ranges from 2 to 16 percent in the general population, but is less than 1 percent in the clinical population. The fact that these individuals represent less than 1 percent of the clinical population is not surprising because these individuals rarely, if ever, seek out treatment. The reason is quite clear: These individuals see themselves (and their lives) as nearly perfect and do not see any need for change.
    • For NPD, there have been no known genetic or environmental factors. It is believed that this is seen when parents over-indulge in the amount of encouragement they display to their child, over-zealously praise the accomplishments of the child, tell their child that they are not responsible for their own wrongdoings or spoiling their child.
    • However,additional evidence suggests a genetic influence may be at play in determining the character of NPD. These inherited aspects include hypersensitivity, aggression, low frustration tolerance, and problems in affect regulation.
    • Some researchers believe that Narcissistic individuals don’t grow out of the period when they don’t see the viewpoint of others as a child.
    • In the clinical practice for substance abuse, 10 to 15% have Narcissistic Personality Disorder (SAMHSA, 2009).

    Etiologia

    • The Encyclopedia states that at present there are two major theories about the origin and nature of NPD. One theory regards NPD as a form of arrested psychological development while the other regards it as a young child’s defense against psychological pain. The two perspectives have been identified with two major figures in psychoanalytic thought, Heinz Kohut and Otto Kernberg respectively
    • Both theories about NPD go back to Sigmund Freud’s pioneering work On Narcissism, published in1914. In this essay, Freud introduced a distinction which has been retained by almost all later writers—namely, the distinction between primary and secondary narcissism. Freud thought that all human infants pass through a phase of primary narcissism, in which they assume they are the center of their universe. This phase ends when the baby is forced by the realities of life to recognize that it does not control its parents (or other caregivers) but is in fact entirely dependent on them. In normal circumstances, the baby gives up its fantasy of being all-powerful and becomes emotionally attached to its parents rather than itself. What Freud defined as secondary narcissism is a pathological condition in which the infant does not invest its emotions in its parents but rather redirects them back to itself. He thought that secondary narcissism developed in what he termed the pre-Oedipal phase of childhood that is, before the age of three. From a Freudian perspective, then, narcissistic disorders originate in very early childhood development, and this early origin is thought to explain why they are so difficult to treat in later life.
    • Kohut and Kernberg agree with Freud in tracing the roots of NPD to disturbances in the patient’s family of origin—specifically, to problems in the parent-child relationship before the child turned three. Where they disagree is in their accounts of the nature of these problems. According to Kohut, the child grows out of primary narcissism through opportunities to be mirrored by (i.e., gain approval from) his or her parents and to idealize them, acquiring a more realistic sense of self and a set of personal ideals and values through these two processes. On the other hand, if the parents fail to provide appropriate opportunities for idealization and mirroring, the child remains “stuck” at a developmental stage in which his or her sense of self remains grandiose and unrealistic while at the same time he or she remains dependent on approval from others for self-esteem
    • In contrast, Kernberg views NPD as rooted in the child’s defense against a cold and unempathetic parent, usually the mother. Emotionally hungry and angry at the depriving parents, the child withdraws into a part of the self that the parents value, whether looks, intellectual ability, or some other skill or talent. This part of the self becomes hyperinflated and grandiose. Any perceived weaknesses are “split off” into a hidden part of the self. Splitting gives rise to a lifelong tendency to swing between extremes of grandiosity and feelings of emptiness and worthlessness.
    • In both accounts, the child emerges into adult life with a history of unsatisfactory relationships with others. The adult narcissist possesses a grandiose view of the self but has a conflict-ridden psychological dependence on others. At present, however, psychiatrists do not agree in their description of the central defect in NPD some think that the problem is primarily emotional while others regard it as the result of distorted cognition, or knowing. Some maintain that the person with NPD has an “empty” or hungry sense of self while others argue that the narcissist has a “disorganized” self. Still others regard the core problem as the narcissist’s inability to test reality and construct an accurate view of him- or herself

    Macrosocial Causes.

    • One dimension of NPD that must be taken into account is its social and historical context. Psychiatrists became interested in narcissism shortly after World War II (1939–45), when the older practitioners in the field noticed that their patient population had changed. Instead of seeing patients who suffered from obsessions and compulsions related to a harsh and punishing superego (the part of the psyche that internalizes the standards and moral demands of one’s parents and culture), the psychiatrists were treating more patients with character disorders related to a weak sense of self. Instead of having a judgmental and overactive conscience, these patients had a weak or nonexistent code of morals. They were very different from the patients that Freud had treated, described, and analyzed. The younger generation of psychiatrists then began to interpret their patients’ character disorders in terms of narcissism.
    • In the 1960s historians and social critics drew the attention of the general public to narcissism as a metaphorical description of Western culture in general. These writers saw several parallels between trends in the larger society and the personality traits of people diagnosed with narcissistic disorders. In short, they argued that the advanced industrial societies of Europe and the United States were contributing to the development of narcissistic disorders in individuals in a number of respects. Some of the trends they noted include the following:
      • The mass media’s preoccupation with “lifestyles of the rich and famous” rather than with ordinary or average people.
      • Social approval of open displays of money, status, or accomplishments (“if you’ve got it, flaunt it”) rather than modesty and self-restraint.
      • Preference for a leadership style that emphasizes the leader’s outward appearance and personality rather than his or her inner beliefs and values.
      • The growth of large corporations and government bureaucracies that favor a managerial style based on “impression management” rather than objective measurements of performance.
      • Social trends that encourage parents to be self-centered and to resent their children’s legitimate needs.
      • The weakening of churches, synagogues, and other religious or social institutions that traditionally helped children to see themselves as members of a community rather than as isolated individuals

      Empirically Supported Treatments

      • For NPD, the treatment of choice is normally Psychotherapy, but this method may prove problematic because the patient may become envious of the therapist and not respond to them. Long -Term Care Individual Counseling for these patients is recommended to help manage not only the self-aggrandizement, hypersensitivity, and need for control and attention, but also their anger and depression.
      • Group Therapy is another option for patients, but the therapist should set down boundaries and limits on time, interruptions, the respect of others’ feeling, responding to other group members, and listening to others’ responses and feedback.
      • It’s important to obtain treatment as quickly as possible to avoid the onset of other disorders. Also, treatment should be continued for as long as allowed as personality traits are often very difficult to change. The inability to change is even more of a problem for the narcissistic type because, after all, they have the best personality already

      Psicoterapia

      • Several different approaches to individual therapy have been tried with NPD patients, ranging from classical psychoanalysis and Adlerian therapy to rationalemotive approaches and Gestalt therapy . The consensus that has emerged is that therapists should set modest goals for treatment with NPD patients. Most of them cannot form a sufficiently deep bond with a therapist to allow healing of early-childhood injuries. In addition, the tendency of these patients to criticize and devalue their therapists (as well as other authority figures) makes it difficult for therapists to work with them.
      • An additional factor that complicates psychotherapy with NPD patients is the lack of agreement among psychiatrists about the causes and course of the disorder. One researcher has commented that much more research is necessary to validate DSM-IV-TR ‘s description of NPD before outcome studies can be done comparing different techniques of treatment

      Hospitalization

      • Low-functioning patients with NPD may require inpatient treatment, particularly those with severe self-harming behaviors or lack of impulse control. Hospital treatment, however, appears to be most helpful when it is focused on the immediate crisis and its symptoms rather than the patient’s underlying long-term difficulties
      • Read more: www.minddisorders.com

      Medicamento

      • As of 2002, there are no medications that have been developed specifically for the treatment of NPD. Patients with NPD who are also depressed or anxious may be given drugs for relief of those symptoms. There are anecdotal reports in the medical literature that the selective serotonin reuptake inhibitors, or SSRIs, which are frequently prescribed for depression, reinforce narcissistic grandiosity and lack of empathy with others

      Prognóstico

      • The prognosis for younger persons with narcissistic disorders is hopeful to the extent that the disturbances reflect a simple lack of life experience. The outlook for long-standing NPD, however, is largely negative. Some narcissists are able, particularly as they approach their midlife years, to accept their own limitations and those of others, to resolve their problems with envy, and to accept their own mortality. Most patients with NPD, on the other hand, become increasingly depressed as they grow older within a youth-oriented culture and lose their looks and overall vitality. The retirement years are especially painful for patients with NPD because they must yield their positions in the working world to the next generation. In addition, they do not have the network of intimate family ties and friendships that sustain most older people

      Prevenção

      • The best hope for prevention of NPD lies with parents and other caregivers who are close to children during the early preschool years. Parents must be able to demonstrate empathy in their interactions with the child and with each other. They must also be able to show that they love their children for who they are, not for their appearance or their achievements. And they must focus their parenting efforts on meeting the child’s changing needs as he or she matures, rather than demanding that the child meet their needs for status, comfort, or convenience

      Portrayed in Popular Culture

      • In Greek mythology, Narcissus was a very beautiful guy that all the girls wanted to date, but Narcissus wanted nothing to do with them. He would pass by the loveliest and the most beautiful girls, not even bothering to look at them. One of his spurned lovers prayed to the goddess Nemesis that “he who loves not others love himself”. Nemesis granted that prayer, and when Narcissus bent over a clear pool to get a drink of water, he saw a reflection of himself and fell in love with it. He could not leave his image, and so he pined away, leaning perpetually over the pool, fixed in one long gaze until he died. They say that when his spirit crossed the river that encircles the world of the dead, it leaned over the boat to catch one last glimpse of itself in the water (Hamilton, 1969).
      • Wall Street (1987)
      • To Die For (1995)
      • The Scarecrow from Batman
        • A psychiatrist himself, highly intellectual and generally condescending
        • Self-indulgent and always expecting admiration and adoration, even where lacking

        DSM-V Changes

        • Narcissistic Personality Disorder will be represented and diagnosed by a combination of core impairment in personality functioning and specific pathological personality traits, rather than as a specific type.

        (APA, 2010)

        For More Information, Please Read:

        Links


        Long-term Recovery from Narcissistic Personality Disorder

        People with NPD are often in denial about the depth and nature of their problems, even after they’ve agreed to seek treatment.

        But after their initial resistance to treatment wanes, and they start listening to their therapists and reflecting on the consequences of their attitudes and behaviors, a positive outcome can be anticipated.

        Once they acknowledge they have a problem, narcissistic personality disorder sufferers can begin to analyze themselves more objectively. This is an important step forward, and as they confront their past and imagine a better future the possibility of a new way of thinking and living emerges.

        Narcissistic personality disorder is a stable condition that will not change or evolve over time without treatment. But NPD sufferers who decide to give treatment a chance have great hope—and room—for improvement. Narcissism is adopted as a shield by those who feel a need to deny their true feelings, and once that shield has been cast aside clarity and enlightenment can finally shine through.